Select Page

Na sessão desta segunda-feira 23, a maioria dos vereadores decidiu abrir o jogo e afirmar a sua ubiquidade, ou seja, o poder de estar em dois lugares ao mesmo tempo. Onipresentes, votaram contra o Projeto de Resolução do vereador Ademir Pestana que tentando moralizar o procedimento legislativo, inseria norma anulando o pedido de verificação de presença de quem, após o pedido, saisse do plenário – como é costume. “Uma mera questão de lógica e de direito”, sintetizou Pestana. “Quem pede não pode estar ausente na hora da contagem, afirmou. Em vão: apenas Benê (PSB) e Brás (PPS) votaram com ele. Ficou valendo o “vereador fantasma”, que pede e desaparece. Com este resultado, o vereador, que ameaçou trazer mestres do Direito, perdeu a votação, mas tem munição.