Select Page

A implementação de políticas urbanas na Baixada Santista não é um tema novo. Ao longo dos anos dos anos, o assunto tem sido debatido pelos poderes Executivo e Legislativo. Em que pese a excelente qualidade de vida propiciada pela cidade de Santos, seu IDH e o fato da mesma ser uma das cidades mais ricas do Brasil, ainda assim, as desigualdades sociais são uma realidade.

A Câmara aprovou na sessão do dia (01/06) requerimento de autoria do vereador Ademir Pestana para que o prefeito Paulo Alexandre Barbosa faça gestão junto aos Governos Federal e Estadual, no sentido de que a retomada da atividade econômica após a Pandemia do Covid-19 tenha como um dos seus eixos diretivos a erradicação de favelas.

No documento ele faz menção quanto a necessidade de moradias dignas que segundo o parlamentar, ainda não é uma realidade para significativa parcela da população.

“Na cidade, está localizada a maior favela de palafitas do Brasil”, referindo-se ao Dique da Vila Gilda, onde residem milhares de pessoas se equilibrando sobre as águas e se expondo a riscos de contaminação ou afogamento.

O vereador reforça que esta não é a única mazela social da Cidade. “No Centro Histórico, hoje em processo de degradação, milhares de famílias vivem em cortiços, sem as mínimas condições de habitabilidade”, disse. O requerimento foi encaminhado com cópia ao presidente da República, Governador do Estado, Senadores e Deputados Federais e Estaduais que representam a região.